2
1
.
2
2
.
O
U
T

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, ID Cultural e Cardápio de Ideias apresentam

O PING é um encontro que trás muitas possibilidades de informação e conhecimento, com o objetivo de integrar e conectar todas as idades, estimulando a criatividade , sensibilidade, troca, colaboração, e todas as oportunidades de expressão e transformação promovidos a partir da cultura, arte e educação. Com objetivo de gerar reflexão e experimentação, o PING propõe uma série de palestras, debates e múltiplas experiências que trazem iniciativas, ideias e ferramentas de transformação social.

CULTURA MAKER + ECONOMIA COLABORATIVA + DESIGN THINKING + DIVERSIDADE + INTELIGÊNCIA EMOCIONAL + ACESSIBILIDADE CRIATIVA + ALFABETIZAÇÃO MÚLTIPLA + INCLUSÃO SOCIAL + ARTE + TECNOLOGIA + EDUCAÇÃO

Afetos Sonoros

21 e 22.OUT

11h às 13h – para crianças de 4 a 7 anos

15h às 17h – para crianças de 8 a 14 anos

Afetos Sonoros, criado por Negalê Jones e Flavia Costa, realiza uma oficina que mistura música e movimento construindo a experiência do entretenimento por meio da relação corpo, arte e tecnologia. Durante a oficina diferentes linguagens serão usadas, como: corpo criativo, pequenos circuitos eletrônicos, som ritmo e tap, música concreta, para chegarmos a apresentação final.

Aspectos culturais, científicos, artísticos e principalmente aspectos sociais são exercitados de maneira lúdica fazendo com que conceitos fundamentais para a vida em sociedade se tornem inesquecíveis.

Negalê Jones é músico e artista sonoro, seu trabalho mistura arte, ciência e tecnologia.

Flávia Costa é bailarina e coreógrafa licenciada em Dança pela Faculdade Angel Viana. Possui Formação pelo Espaço Pilates Rio de Janeiro. Especializada em sapateado pela Step’s on Broadway, NYC.

Com 30 vagas por sessão.

Ambientes infláveis

21 e 22.OUT das 10h às 18h

Classificação Etária – Livre

É um projeto de Intervenção urbana dos artistas Hugo Richard e Natali Tubenchlak. Uma experiência que propõe por um lado intervir no cotidiano das cidades e trazer uma nova forma de se relacionar com o ambiente e com as pessoas, e por outro a experimentação de um objeto, suspenso por ar e intangível, contradizendo o próprio conceito de espaço.

Tendo como ponto de partida a relação do espectador com a obra de arte, Ambientes Infláveis se coloca para além da apreciação estética, como um convite a experimentação, uma obra penetrável inevitavelmente sensorial.

Hugo Richard é mestrando em Estudos Contemporâneo das Artes pela UFF e formado em artes visuais pela EBA-UFRJ

Natali Tubenchlak é Artista Visual e Design formada pela Universidade da Cidade.

Instalação Interativa com participação do público por ordem de chegada, com capacidade de 6 pessoas por vez

Vivência Circense

21.OUT

11h à 12:30h – para crianças de 4 a 12 anos

14h à 15:30h – para crianças de 4 a 12 anos

22.OUT

11h à 12:30h – para crianças de 4 a 12 anos

A arte milenar do circo se faz presente no imaginário coletivo como algo relacionado a alegria, vigor e risco.

A oficina de Vivência Circense, criada pelo Teatro de Anônimo, utiliza técnicas que desenvolvem as habilidades motoras, expressão corporal, autoconhecimento, convívio em grupo, e o respeito pelo outro, fortalecendo a auto estima, apresentando para os alunos a ideia de superação, atitude e metas.

Teatro de Anônimo – Celebrando 30 anos, combina, em uma linguagem popular, teatro de rua e técnicas circenses, como acrobacias aéreas e números de palhaços. Também se dedica à pesquisa sobre as origens do circo e tem trabalho voltado a projetos socioculturais.

Conversando com os dragões

21 e 22.OUT

11h à 12:30h – para crianças de 3 a 12 anos

14:30h às 16h – para crianças de 3 a 12 anos

16:30h às 18h – para crianças de 3 a 12 anos

Criado pelo VAV_Vendo Ações Virtuosas, Conversando com os Dragões é um laboratório corporal para pais e filhos dialogarem com as emoções como o despertar de divertidos dragõezinhos. Um segredo preciso que mora dentro dos coraçõezinhos de cada um de nós será revelado e, entre contação de estória, teatro e dança, os participantes serão convidados a  despertar seus dragõezinhos, abraçá-los e conversar com eles.

Vendo Ações Virtuosas é uma plataforma de ações coletivas entre arte contemporânea, alfabetização emocional e decrescimento econômico, com o intuito de promover uma escuta e um dialogo maior sobre uma economia da energia vital. As ações coletivas abaixo foram desenvolvidas por Lívia Moura, artista- etc e propositora do VAV , com a colaboração de Carol Cortes e Leticia Mattoso.

Capacidade de 30 vagas por sessão.

 

Crie seus Games

21 e 22.OUT das 10h às 18h 

10:00 as 10:45 – para crianças de 06 a 09 anos

11:00 as 11:45 – para crianças acima 10 anos

12:00 as 12:45 – para crianças de 06 a 09 anos 

14:00 às 14:45 – para crianças acima 10 anos

15:00 às 15:45 – para crianças de 06 a 09 anos

16:00 às 16:45 – para crianças acima 10 anos

17:00 as 17:45 – para crianças de 06 a 09 anos

Programação e desenvolvimento de games que estimulam habilidades como criatividade, raciocínio lógico e resolução de problemas.

A Happy Code é uma escola de tecnologia e inovação voltada para crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. Sua metodologia de ensino é baseada no conceito global steam – science, technology, engineering, arts and math, que une o conteúdo de disciplinas fundamentais, formando alunos mais preparados e capacitados para os desafios do dia a dia.

Oferecem cursos interativos de programação de computadores, robótica com drones, desenvolvimento de games e aplicativos, além de produção e edição de vídeos para o youtube.

Onde os alunos são introduzidos em um ambiente 100% online, com notebooks individuais e atividades baseadas em jogos e projetos, estimulando o raciocínio e a capacidade de criação de cada aluno.

Com capacidade de 12 pessoas por sessão.

Encontros sensoriais para bebês

21 e 22.OUT

10h às 11h – bebês de colo e que engatinham, a partir de 3 meses

12h às 13h – bebês de colo e que engatinham, a partir de 3 meses

15h às 16h – bebês caminhantes até 3 anos

O Encontro Sensorial é uma proposta de intervenção artística e perceptiva para bebês criada pelo coletivo de artistas e educadoras Camará [Arte é Educação]. O espaço é pensado para que os bebês vivenciem experiências por meio de cores, toques, texturas, sabores, canções, ritmos, movimentos e outros materiais que priorizam os estímulos sensoriais e perceptivos. Os ambientes são também desenvolvidos para que os responsáveis e educadores compartilhem vivências, observem as crianças em outro contexto, brinquem e interajam com elas.

Coletivo Camará – Um coletivo transdisciplinar, formado pelas arte educadoras, Bia Jabor, Fernanda Castilhos, Luisa Macedo, Maria Emilia Tagliari, Mariana Jerusalinsky e Roberta Condeixa, que atua com práticas artísticas contemporâneas, acreditando no princípio de que arte é educação e na potência dos processos artísticos como processos de aprendizagem.

Capacidade de 20 bebês por sessão, que deverão estar acompanhados por um adulto. 

Performance_Instalação Linhas

21 e 22.OUT às 14 hs

Classificação Etária – livre

A ação performática criada pelo artista plástico Tulio Pinto,  faz uso de balões cilíndricos de cor laranja e gás hélio para se materializar. A estrutura escultórica, orgânica e efêmera, ancorada ao chão, necessita ser constantemente alimentada com novas unidades de balões cheios de hélio para que a verticalização do todo continue acontecendo. Isso gera uma relação de cumplicidade entre as partes – a “vida” da escultura está intimamente ligada com as decisões do performer que a alimenta.

Túlio Pinto graduou-se em artes visuais com ênfase em escultura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009). Co-fundador e gestor do extinto Atelier Subterrânea vive e trabalha em Porto Alegre. Sua produção tem sido apresentada sistematicamente no Brasil e exterior.

A partir de sua produção em esculturas e instalações – onde apresenta relações de equilíbrio precário e diálogos entre materiais de diferentes potencialidades – passou a realizar performances onde coloca o próprio corpo como um dos materiais a ser questionado.

A performance instalação será realizada pelo artista com a participação do público.

Reciclagem das Emoções

21 e 22 de outubro

11h à 12:30h   14:30h às 16h   16:30h às 18h

Classificação EtáriaLivre

Desencolvido pelo VAV_Vendo Ações Virtuosas,  Reciclagem das Emoções é um Laboratório onde os participantes reciclam as próprias emoções através do processo da reciclagem de papel. Os participantes irão começar desenhando seus monstros (medos, raivas, tristezas) sobre uma folha de papel e em seguida irão participar de um divertido processo de alquimia rasgando os desenhos e jogando-os dentro do liquidificador para formar uma massa de papel machê. Com ela irão esculpir aquilo que gostariam que seus monstros se transformassem, formando uma instalação chamada “cidade das emoções recicladas” juntando todas as esculturas feitas durante os laboratórios.

Vendo Ações Virtuosas (VAV) é uma plataforma de ações coletivas entre arte contemporânea, alfabetização emocional e decrescimento econômico criada pela artista Livia Moura, com o intuito de promover uma escuta e um dialogo maior sobre a economia da energia vital. As ações coletivas abaixo foram desenvolvidas por Lívia Moura com a colaboração de Gabriela Macena, Raquel Azoubel, Liborio Justo e Nora Barna.

SuperViz – Realidade Virtual

21 e 22.OUT das 10h às 18h – sessão a cada 10 min

Classificação Etária – livre

O app SuperViz proporciona uma experiência coletiva em Realidade Virtual para troca de informações, treinamento e compartilhamento de ideias.

Pessoas de diferentes partes do mundo são transportadas virtualmente para o mesmo lugar, onde eles podem se ouvir e se ver. 

Em menos de 1 minuto, uma pessoa pode criar ou escolher um mundo, e convidar outras pessoas, a partir de seus próprios contatos, para começar uma sessão.

O SuperViz é um aplicativo projetado pela SuperUber para rodar em smartphones com sistema operacional iOS e Android, e pode ser acessado através de uma conexão 3G.

Sobre a Super Uber: Pioneiros na integração entre design, arquitetura e tecnologia, fundaram o estúdio experimental SuperUber em 2002, com sedes no Rio e São Francisco (EUA). Russ e Liana criam experiências que vão desde instalações individuais até exposições e performances, e expõe ao redor do mundo, em locais como o Victoria & Albert Museum (Inglaterra) e ONU (EUA). No Brasil, participaram de projetos como o Museu do Amanhã (Rio) e Memorial de Minas Gerais (Belo Horizonte). Participam de festivais como o Spot Festival (Dinamarca), The Creators Project (EUA, Espanha, China e Brasil), e fazem apresentações em instituições como a Parsons School of Design (New York). Inauguraram recentemente o projeto multimídia e interativo do Frost Science Museum em Miami (EUA).

Por ordem de chegada, 10 pessoas por sessão.

Feira de Trocas

21 e 22.OUT das 10h às 18h

Classificação Etária – de 2 a 14 anos

As Feiras de Trocas de brinquedo e livros são uma maneira engajada e divertida de repensar a forma como consumimos, envolvendo adultos e crianças na prática desta reflexão. Uma ação importante que contribui para a formação de valores menos materialistas em tempos de consumo sem reflexão.

Somente para crianças e adolescentes, que deverão trazer 1 brinquedo ou livro e fazer a troca na hora.

 

Espetáculo Intermezzo

22.OUT às 17 hs

Classificação Etária – livre

O espetáculo Intermezzo compila números clássicos de diferentes espetáculos do Teatro de Anônimo. Conduzido por palhaços líricos, figuras que povoam o imaginário circense, suas ações convidam a plateia a fazer parte da cena, criando uma gostosa cumplicidade. Técnicas como Diabolo, Equilíbrio e Double Trapézio são revisitadas com humor subvertendo o virtuosismo. O que acontece quando duas palhaças em um trapézio duplo tentam se ajudar e desenvolver juntas um número.

Por ordem de chegada.

Cinema ao ar livre_ O Menino e O mundo

21.OUT às 18:30hs

Sofrendo com a falta do pai, um menino deixa sua aldeia e descobre um mundo fantástico dominado por máquinas-bichos e estranhos seres. Uma inusitada animação com várias técnicas artísticas que retrata as questões do mundo moderno através do olhar de uma criança.

Direção Alê Abreu. Classificação Etária – livre, por ordem de chegada.

Design Thinking

22.OUT às 17:00-17:30

“O poder do Design Thinking como agente transformador”

Como o mindset do design pode contribuir para transformar os modelos mentais existentes e ferrramenta de transformação social? A importância da abordagem do design se faz hoje necessária nas instituições como escolas e empresas como ferramenta crucial para a  resolução de problemas por meio do pensamento critico, da abordagem criativa e do foco nas pessoas.

Especialista em processos de inovação guiados pelo Design, possui mais de 20 anos de experiência profissional, sendo 10 anos em consultorias na Europa e na Ásia. Seu trabalho é fundamentado na abordagem de Design Thinking e Design de Serviços, com o objetivo de orientar processos de inovação, solucionar desafios de negócios e capacitar equipes nas organizações. Clarissa foi sócia-cofundadora da Laje, plataforma de inovação da Ana Couto Branding e atualmente dedica-se ao tema Design Organizacional. Palestrante em diversos eventos e congressos, incluindo o TEDxLaçador, em Porto Alegre.

 

Inclusão Social

21.OUT às 16:00-16:30

“A arte como instrumento de educação e inclusão”

Designer, arquiteto, cenógrafo, artista gráfico, diretor de arte, diretor de videoclipes, teatro, óperas, desfiles de moda, curador de museus e exposições no Brasil e no exterior. É responsável pela imagem de vários artistas há mais de 30 anos.

Faz a curadoria, museografia e dirige o audiovisual de vários museus e exposições pelo Brasil e pelo mundo.

Seus projetos já foram premiados pela linguagem inovadora. Recebeu mais de 20 prêmios no Brasil e no exterior como curador, cenógrafo e designer.

Fundou a 18 anos, a ONG Escola Spectaculu de arte e tecnologia, junto com a atriz Marisa Orth, o artista Vik Muniz, a consultora de moda e arte Malu Barretto, e o designer Giovanni Bianco, que forma técnicos especializados para a área de espetáculos de televisão, teatro, cinema e eventos, direcionada para os jovens oriundos das periferias e favelas do Rio de Janeiro.

Arte e Educação

21.OUT às 14:00-14:30

“Educação prática e experimentação”

Graduada em História pela UFMG e pós-graduada pela em Pesquisa e Ensino de Arte Contemporânea pela Escola Guignard UEMG. Atua como profissional de museu e professor. Desenvolveu o Programa de Arte e Educação do Instituto Inhotim como Coordenadora e posteriormente como Curadora de Arte e Educação da instituição.

Desde 2012 está à frente da Gerência de Educação do Museu de Arte do Rio (RJ) onde é responsável pelo desenvolvimento do Programa Pedagógico do museu – Escola do Olhar.

Arte e Tecnologia

22.OUT às 10:30-11:o0

“Realidade virtual e Educação”

Pioneiros na integração entre design, arquitetura e tecnologia, Russ Rive e Liana Brazil fundaram o estúdio experimental SuperUber em 2002, com sedes no Rio e São Francisco (EUA). Russ e Liana criam experiências que vão desde instalações individuais até exposições e performances, e expõe ao redor do mundo, em locais como o Victoria & Albert Museum (Inglaterra) e ONU (EUA).

No Brasil, participaram de projetos como o Museu do Amanhã (Rio) e Memorial de Minas Gerais (Belo Horizonte). Participam de festivais como o Spot Festival (Dinamarca), The Creators Project (EUA, Espanha, China e Brasil), e fazem apresentações em instituições como a Parsons School of Design (New York). Inauguraram recentemente o projeto multimídia e interativo do Frost Science Museum em Miami (EUA).

Tecnologia e Criatividade na Escola

22.OUT às 16:00-16:30

“Tecnologia e Criatividade na Escola”

Designer e atua na interseção entre mídia, educação e tecnologia, com background em storytelling visual e foco em processos de inovação e transformação de cultura. Especialista em EdTech e na integração de tecnologias de informação e comunicação na educação básica, atua na transformação de processos, formação de educadores, desenvolvimento de currículo, pesquisa e curadoria de recursos e ferramentas, visando instaurar uma cultura de fluência digital na escola e facilitar experiências de aprendizagem mais criativas, reais e significativas. Educadora e Formadora certificada pelo Google, é Coordenadora de Tecnologia na Escola Eliezer Max e atua também como consultora em projetos de implantação de Google For Education.

Acessibilidade criativa

21.OUT às 10:30-11:00

“Intersecções da audiodescrição (AD) e Libras na criação artística”

Artista e gestora cultural desde 1997. Atua também como consultora, curadora e tradutora. Como Produtora Associada ao programa Transform do British Council, desenvolveu a plataforma UNLIMITED: Arte sem Limites, com objetivo de ampliar o acesso a espaços culturais para artistas e público com deficiência. Organizou o Forum Unlimited (BPE), foi curadora e co-criou a Mostra Acessível Rio das Olimpíadas, em 2016. Acompanhou junto ao British Council a delegação brasileira ao Festival UNLIMITED realizado no Southbank Centre, Londres, em 2014 e a Edimburgo em 2015 para articular parcerias entre programadores e artistas brasileiros e britânicos. Criou junto ao Itaú Cultural o Festival    

|| ENTRE || Arte e Acesso e selecionou espetáculo Let Me Stay da plataforma Unlimited para o 21o Janeiro de Grandes Espetáculos de Recife. Vem criando programação e estabelecendo diálogos curatoriais e artísticos sobre o papel da diversidade e da arte com artistas como Jenny Sealey, Jo Clifford, Ruth MCarthy, Zoe Partington, Marc Brew, Julie McNamara, Clarie Cunningham, Kiko Marques, dentre outros. Criou o plano de acessibilidade criativa da exposição INOVANÇAS (Museu do Amanhã), e do espetáculo A Princesinha Medrosa em cartaz no Sesc Santana. É artista-criadora e atua junto ao grupo de teatro e performance OPOVOEMPÉ. Integra a Rede Unlimited Territórios Acessíveis desde sua fundação e é sócia da Santa Paciência Produções Artísticas.

Acessibilidade Criativa:
“Uma conversa sobre as possíveis intersecções da audiodescrição (AD) e Língua de Sinais com a dança, o teatro, a performance e com as artes visuais. Os recursos de acessibilidade podem estar incluídos desde o momento 0 da criação artística? De que maneira?”

Leitores cidadãos

21.OUT às 11:30-12:00

“Como formar o leitor competente, cidadão crítico e ativo do século 21”

Fundadora da Editora Magia de Ler, criou o Jornal Joca, inspirada em publicações americanas e europeias do gênero, que já são veiculadas há décadas em diversos países. O Joca, primeiro e único jornal para jovens e crianças no Brasil, nasceu com o objetivo de apoiar o desenvolvimento desses leitores para que se formem líderes responsáveis e arquitetos de uma nova geração transformadora e protagonista.

Colaboração artística

21.OUT às 15:00-15:30

“Residência na aldeia: colaborações artísticas com o povo Kuikuro do Alto Xingu”.

Premiado cineasta indígena, do povo Kuikuro, e vive na aldeia Ipatse, no Parque Indígena do Xingu. Ele fez um primeiro curso de audiovisual com o projeto da organização Vídeo nas Aldeias, e posteriormente estudou cinema na Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Seu último filme, Londres como uma aldeia (2015) tem circulado em festivais em todo o mundo.

Takumã Kuikuro é presidente da AIKAX (Associação Indígena Kuikuro do Alto Xingu) e, em parceria com a organização artística britânica People’s Palace Projects, está desenvolvendo um projeto para receber artistas brasileiros e internacionais em residência na aldeia Ipatse.

Para o povo Kuikuro do Alto Xingu, artistas são itseke, grandes espíritos da sabedoria invisível. O premiado cineasta indígena Takumã Kuikuro conta sobre as experiências do programa de residências artísticas na aldeia Ipatse, desenvolvido em parceria com a organização britânica People’s Palace Palace. Durante o primeiro ano, o projeto recebeu quinze artistas do Brasil e do Reino Unido e diversos projetos artísticos colaborativos nasceram desse encontro. Takumã irá falar do desejo de sua comunidade em forjar conexões criativas com os “brancos” como estratégia de preservação da cultura e das tradições de seu povo.

Novas economias

22.OUT às 14:00-14:30

“A influência das novas economias na cultura e educação”

Formada em administração pelo Ibmec e tem pós graduação em uma das melhores escolas de marketing do mundo: a Coca-Cola. Lá, trabalhou por 7 anos, saindo em 2010 para se tornar empreendedora social – ou hacker cultural, como gosta de dizer. Fascinada pelo poder de influência que a comunicação exerce no comportamento das pessoas, está determinada a usá-lo para estimular uma cultura mais humana, colaborativa e realizadora no Brasil. Em 2011, ao lado do marido, fundou a Benfeitoria, a primeira plataforma de financiamento coletivo com comissão livre do mundo. Desde então, empreende outros projetos da nova economia, como Rio+, Reboot e Bebênfeitoria.

Movimento maker

22.OUT às 11:30-12:00

“O estímulo ao pensamento e a criatividade através da educação maker”

Juliana Ragusa é graduada em Letras, Mestre em LAEL pela PUC-SP onde estudou formação de professores com foco em Linguagem, Educação e Tecnologia. Pós-graduada em Psicopedagogia Clínica e Institucional (PUC-SP) e em Pedagogias do Século 21 pela TAMK (Universidade de Tampere, Finlândia). Educadora há 24 anos possui experiência em coordenação de projetos mão na massa e tecnologias ao longo de sua trajetória na área educacional. Vem trabalhando com a cultura maker desde 2013 como consultora educacional da We Fab. Hoje é  designer de aprendizagem da Rhyzos Educação, com foco na formação e empoderamento de educadores para disseminar a cultura da aprendizagem mão na massa. Participou do desenvolvimento do Especial Mão na Massa do Porvir.

Tiago Eugênio é consultor em tecnologias educacionais. Coordenador do Curso de Pós-Graduação em Games e Tecnologias da Inteligência aplicados à Educação da Capacitar. Com Formação em Game-Based Learning pela Quest to Learn em Nova York – EUA. Formação em comunidades de aprendizagem pelas Escuelas Experimentales do Ushuaia – ARG. Autor de seis capas de revistas nacionais de divulgação científica, nas quais abordou assuntos relacionados à Educação, Neurociências e Tecnologias. Editor da página Neurociências em Benefício da Educação.

Alfabetização emocional

22.OUT às 15:00-15:30

“A importância da Educação Emocional”

Mestre em Educação pela Universidade de Columbia em Nova York, é Lemann Fellow e Global Salzburg Fellow. Empreendedora na área de educação, Tonia trabalha com o desenvolvimento de competências para o futuro. É educadora e palestrante, tendo feito um TEDx Talk em 2016 e com experiência para público de mil pessoas sobre o Futuro do Trabalho e como se preparar para ele. É professora de Pós Graduação no Singularidades e do curso de Empreendedorismo no Google Campus. É autora do livro infantil “Tenho Monstros na Barriga”, que virou bestseller no Brasil. Foi vencedora do Global Impact Challenge no Brasil, prêmio da Singularity University em 2017. Lança um novo livro infantil em Setembro de 2017.

Alfabetização múltipla

21.OUT às 17:00-17:30

Um de nossos mais consagrados artistas contemporâneos, iniciou a carreira como escultor e apresentou sua primeira mostra individual em 1988, em Nova York. Entretanto, o trabalho mudou de direção, quando se tornou mais interessado nas reproduções fotográficas das esculturas do que nos objetos em si.  Começou, então, a fazer objetos e desenhos construídos justamente com o intuito de serem fotografados. A ilusão fotográfica e a complexa relação da fotografia com o mundo real passaram a ser sua fonte essencial de inspiração. Hoje, o desenho é o elemento-chave de sua produção criativa, mas a forma final para todas as ideias é a fotografia. 

Vik Muniz usa materiais não convencionais, como arame, açúcar, chocolate, terra, lixo para desenhar imagens que ganham nova dimensão depois de fotografadas. Ademais, o uso desses materiais reflete sua perspicácia e sua irreverência com o imaginário icônico.

Seu trabalho tem sido extensamente exposto na América, Europa e Ásia.

Ao longo de vinte e cinco anos de trajetória, sedimentou-se como um dos expoentes da cena contemporânea, realizando exposições em conceituados museus e instituições em todo o mundo.

Hoje, sua obra encontra-se em acervos notáveis, como os do Museu de Arte Moderna de Nova York; a Tate Gallery, em Londres; o Centro Georges Pompidou, em Paris; The Menil Collection, Houston; o Metropolitan Museum of Art, NY; The Victoria and Albert Museum, Londres; MoCA, San Diego; Centre National de la Photographie, Paris; Fondation Cartier pour L’Art Contemporain, Paris; The Arts Institute of Chicago e muitos outros.

Convidado com frequência a atuar como curador e palestrante, o artista já deu conferências em tradicionais universidades americanas, como as de Nova York, Harvard e Stanford, e em várias instituições mundiais e brasileiras, demonstrando erudição e aguçado domínio de suas próprias questões.

Recentemente, Vik Muniz foi convidado a fazer uma instalação permanente na nova estação da expansão do metrô de Nova York.

Idealizou o Laboratório Cultural de Alfabetização Múltipla Escola Vidigal que nasceu da certeza de que ações individuais multiplicadas e reunidas no futuro podem transformar o panorama social do nosso país, aumentando as possibilidades de inclusão social do jovem em um mundo repleto de imagens e tecnologia.

Buscando atuar sobre as desigualdades sociais oferecendo, as crianças oriundas de comunidades de baixa renda, oportunidades de crescimento pessoal e profissional, tendo a arte e a tecnologia como eixos condutores.

Neste sentido, o Projeto Escola Vidigal – Laboratório Cultural de Alfabetização Múltipla é essencial por oferecer orientação abstrata e construção cidadã, preparando melhor a criança para a vida e contribuindo na inserção dos jovens num mundo repleto de imagens e tecnologia.

 

Maria Arlete Gonçalves e Ronaldo Mota, mediação de Livia Moura

Debate_ Biblioteca – 21.OUT às 16:00

“Competências Futuras no desenvolvimento de crianças e adolescentes” com Maria Arlete Gonçalves, Ronaldo Mota, e mediação de Livia Moura.

Ronaldo Mota é Chanceler do Grupo Estácio e atua nas áreas de Novas Tecnologias e Metodologias Inovadoras em Educação. Anteriormente foi professor titular de Física da Universidade Federal de Santa Maria, pesquisador do CNPq, realizou pós-doutoramento nas Universidades de Utah/USA e British Columbia/Canada, foi Professorial Visiting Fellow no Institute of Education – University of London/UK, reitor da Universidade Estácio de Sá, secretário nacional de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação, secretário de Educação Superior, secretário de Educação a Distância e ministro interino do Ministério da Educação.

Lívia Moura é artista e propositora do VAV- Vendo Ações Virtuosas, uma plataforma de ações coletivas itinerantes entre arte, alfabetização emocional e decrescimento econômico. Formada pelo Instituto de Artes da UERJ, passou 7 anos na Itália onde desenvolveu estudos e projetos sobre novas economias e pedagogia radical. Atualmente está cursando o mestrado em processos artísticos contemporâneos na UFF e oferece consultoria educacional na área de competências sócio-emocionais.

Maria Arlete Gonçalves criou e implantou o Oi Futuro, instituto de responsabilidade social da Oi. Foi responsável pela criação, curadoria, implantação e direção geral dos Museus de Telecomunicações, no Rio e em Belo Horizonte, e dos centros culturais Oi Futuro voltados para a arte, tecnologia e convergência de linguagens nas artes visuais, artes cênicas e música, além da criação e implantação do programa Oi Kabum! Escolas de Arte e Tecnologia – no Rio de Janeiro, Salvador, Recife e Belo Horizonte –  e pelo lançamento e gestão do Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados, que hoje abrange todo o Brasil. Em 2013,  desliga-se da direção do Oi Futuro e cria a MAG Consultoria, voltada para o atendimento a empresas, institutos, fundações e centros culturais,  organizações e coletivos na criação, formulação e implantação de estratégias nas áreas da Economia Criativa, com ênfase na Cultura, Comunicação e Sustentabilidade.

 

Tathiana Lopes _ Concepção e curadoria

Empreendedora Cultural, fundadora e diretora da Cardápio de Ideias, formada em artes, propaganda e marketing e gestão de negócios, começou sua carreira há quase 20 anos como produtora e gestora cultural.

Mãe de Olivia, de 4 anos, sua maior inspiração para criação do PING, vem se dedicando a pesquisa e desenvolvimento de projetos que tenham cultura, arte, tecnologia e educação como base.

Palestrante em eventos ligados a comunicação e cultura, a partir de 2009 começou a ampliar sua experiência no desenvolvimento e realização de festivais. É fundadora e realizadora do Festival Novas Frequências, Realizadora do Festival Mais Performance, foi colaboradora e responsável pela produção do Shakespeare Lives e Shakespeare House para o British Council, em parceria com o artista plástico Vik Muniz criou o Projeto Paisagem para Rio+20, desenvolveu e produziu o Cine Daros no Pátio, além dos eventos de abertura da Casa Daros.

realização Cardápio de Ideias e ID Cultural

Ficha técnica

Idealização, Curadoria e Direção: Tathiana Lopes

Direção Executiva: André Carrano

Produção Executiva: Clara Miné

Coordenação de Produção: Valeria Sorrentino

Assistente Produção: Marcela Stallone

Identidade Visual: ESTUDIO CRU

Comunicação Digital: 14 Agência de Conteúdo Estratégico

Assessoria de Imprensa: Lu Nabuco e Débora Ghivelder

Patrocinadores: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Cultura Inglesa, Nasajon Sistemas e Estácio de Sá

Apoio: Escola Eleva, Rede D’or, Hércules Vigilância

Produção: Cardápio de ideias

Captação de Recursos: ID Cultural

Cardápio de Ideias

Há 10 anos, um espaço criativo que atua na realização de iniciativas através dos mais diversos projetos e soluções, onde conceitos e ideias são colocados em prática com o propósito de criar experiências transformadoras. Desenvolveu e realizou projetos com apoio de instituições e empresas como Coca Cola, O Globo, Natura, Asics, Heineken, Skol, Oi, British Council, Red Bull, Adidas.

Realiza o Festival Novas Frequências, desde de 2011 no RJ, passando por Glasgow, Londres e Dresden, único representante brasileiro do International Cities of Advanced Sounds, indicado a melhor evento 2016 pelo Prêmio de Cultura Bravo; Festival Mais Performance que reúne nomes nacionais e internacionais, para performances, debates, palestras e exposições, Shakespeare Lives, série de eventos no território brasileiro, para o fomento das artes e troca cultural entre o Reino Unido e o Brasil, realizado pelo British Council, The Art of Mixing, desenvolvido em parceria com a Lema e Onitsuka Tiger, com colaboração da Casa Amarela para crianças e jovens do Morro da Providência, Cine Daros no Pátio, Lançamento do Documentário Lixo Extraordinário, entre outros.

ID Cultural

Com mais de dez anos no mercado, a ID Cultural é uma das empresas de marketing cultural mais renomadas do país. Responsável pela captação de recursos, planejamento, execução e prestação de contas de eventos, projetos editoriais de arte, fotografia e história, além de documentários e longas-metragens, a ID Cultural, através de um sistema meritocrático inédito no setor, tem como premissa a entrega do resultado acima do esperado para clientes como Cultura Inglesa, Estácio, Veirano Advogados, Rede D`Or, BTG Pactual, SPX Capital, Icatu, Ventor Investimentos, Paineiras Investimentos, Vinci Partners, Alamo Engenharia, Brasil Brokers, Seadrill, BMA Advogados, Visagio, Simtech, Opportunity, Belmond Copacabana Palace, Bodytech, 3G Radar, Studio Investimentos, Leblon Equities, Gera Venture Capital, Squadra Investimentos, entre outros.

A ID Cultural cria projetos de interesse público e privado em todo território nacional e presta consultoria para investimento direto ou através das leis de incentivo à cultura e ao esporte, na esfera municipal, estadual e federal.

Patrocínio
Realização